​Como é a prevenção da transmissão vertical de HIV, sífilis e hepatites B e C

A transmissão vertical ocorre quando a criança é infectada por alguma IST durante a gestação, parto, e em alguns casos durante toda amamentação. Todas as gestantes e suas parcerias sexuais devem ser investigadas para IST durante o pré-natal e no momento do parto, especialmente para o HIV, sífilis e hepatites virais B e C. Ao mesmo tempo, devem ser e informadas orientadas sobre as possibilidades de prevenção, bem como, sobre a possibilidade de riscos da prevenção da transmissão vertical para a criança quando a gestante é infectada, especialmente de HIV/aids, sífilis e hepatites virais B e C.

A presença de IST durante a na gestação pode afetar a criança e causar complicações, como:  abortamento ou natimortalidade, parto prematuro, doenças congênitas ou morte do recém-nascido.

Importante!

O que fazer para prevenção da transmissão vertical do HIV, da sífilis e das hepatites B e C no momento durante a gravidez?

Algumas ações são fundamentais para prevenção e eliminação da transmissão vertical:

  1. Realizar o pré-natal desde o início da gestação, ou assim que descobrir a gravidez,
  2. Realizar testagem, especialmente por meio dos testes rápidos, para o diagnóstico precoce,
  3. Nos casos de infecção, realizar o tratamento correto com profissional de saúde, e ter adesão às consultas do pré-natal para acompanhamento adequado e realização dos exames solicitados. 

O cumprimento dessas ações no período pré-natal, reduz significativamente o risco de desfechos desfavoráveis à criança.

Quando a gestante deve realizar a testagem para HIV, sífilis e hepatite B e C?

A testagem para IST durante a gestação é importante, pois possibilita o diagnóstico precoce, permitindo agir em tempo adequado para o controle da infecção materna, bem como, para prevenção da transmissão vertical. Assim, é preciso estar atento(a) aos momentos considerados favoráveis para tomada de decisão, conforme a infecção (HIV, sífilis e hepatite B e C), durante o período de gestação e no momento do parto, conforme apresentadas a seguir:

Para o HIV e a sífilis, a testagem deve ser realizada: 

  • No pré-natal: realizar na 1ª consulta (de preferência no 1º trimestre da gestação), deve também ser realizado no 3º trimestre da gestação 
  • No parto:  independentemente da testagem ter sido realizada no pré-natal.
  • Em situações de exposição de risco
  • Em caso de abortamento

Para a Hepatite B: 

  • No pré-natal: realizar na 1ª consulta (de preferência no 1º trimestre da gestação)
  • No parto: quando a gestante não fez a testagem no pré-natal ou quando a gestante não recebeu todas as doses da vacina contra hepatite B

Para a Hepatite C: 

  • No pré-natal: realizar na 1ª consulta (de preferência no 1º trimestre da gestação)

O que fazer para prevenção da transmissão vertical no momento do parto?

No momento da admissão para o parto, os testes rápidos de HIV, sífilis e hepatite B (se houver indicação) devem ser realizados

Caso algum desses testes seja reagente, medidas preventivas para transmissão vertical devem ser realizadas com a gestante e seu recém-nascido, conforme as diretrizes clínicas e terapêuticas estabelecidas pelo Ministério da Saúde.

A primeira dose da vacina para hepatite B do recém-nascido deve ser realizada logo após o nascimento. E os recém-nascidos de mulheres infectadas com hepatite B devem receber também a imunoglobulina humana anti-hepatite B (IGHAHB).

Todas condutas realizadas durante a gestação e no momento do parto devem estar anotadas no cartão da gestante e da criança para ficar documentado para as próximas consultas.

O que fazer para prevenção da transmissão vertical após o parto e período de amamentação?

Algumas infecções, como o HIV e HTLV, podem ser transmitidas por meio do leite materno. Desta forma, mulheres em período de amamentação devem manter as medidas de prevenção combinada nesse período. Lembrando que a transmissão vertical do HIV e do HTLV também pode ocorrer por meio da amamentação cruzada (quando uma mulher vivendo com HIV ou HTLV amamenta uma criança que não é seu filho).

Buscar, conhecer e realizar as estratégias efetivas, como diagnóstico precoce e tratamento adequado durante a gestação, parto e período de amamentação são fundamentais para eliminação da transmissão vertical. 

O Sistema Único de Saúde disponibiliza gratuitamente os insumos necessários para a prevenção da transmissão vertical do HIV, da sífilis e das hepatites B e C. Não sinta vergonha de conversar com o profissional de saúde. Faça perguntas. Esclareça as dúvidas.

PCDT de TV

http://www.aids.gov.br/system/tdf/pub/2016/57801/miolo_pcdt_tv_08_2019.pdf?file=1&type=node&id=57801&force=1

Fluxograma de prevenção de TV nas instituições que realizam parto

http://www.aids.gov.br/system/tdf/pub/2016/67631/calendario_transmissao_vertical_07_2021.pdf?file=1&type=node&id=67631&force=1