Capacitação em Profilaxia Pré-Exposição (PrEP)

Definição

A Profilaxia Pré-Exposição ao HIV (PrEP) consiste no uso oral e diário de dois medicamentos antirretrovirais – tenofovir (TDF) e entricitabina (FTC) – em um único comprimido, para prevenir a infecção por HIV.

Eficácia

A PrEP é eficaz e oferece um grau de proteção contra a infecção pelo HIV superior a 90%, quando tomada regularmente.

Segurança e resistência

A PrEP é segura. A maioria dos usuários não apresenta reações adversas e, quando apresentam, estas tendem a desaparecer com o tempo. Os casos de seleção de cepas resistentes ocorreram em pessoas que utilizaram a PrEP quando já infectadas. Por isso a importância do usuário realizar o teste anti-HIV em todas as consultas.

Tempo necessário para fazer efeito no organismo

A proteção depende da concentração do medicamento em determinada região do corpo. Para relações anais, são necessários sete dias de uso de PrEP para alcançar a proteção. Para relações vaginais, são necessários 20 dias.

Adesão

Em estudos demonstrativos, quando as pessoas conheciam a PrEP e escolheram tomá-la, a adesão foi alta. Contudo, algumas pessoas terão dificuldades e necessitarão de acompanhamento mais frequente, especialmente no início.

PrEP e uso de outras substâncias

O medicamento pode ser tomado quando se ingere álcool ou se consomem drogas.

Mudança nas práticas sexuais

Não há evidências consistentes de que o uso da PrEP tenha mudado as práticas de maior exposição sexual ao HIV, tais como aumento do número de parceiros sexuais e/ou diminuição do uso de preservativo.

IST

A PrEP não protege das IST. Recomenda-se orientar os usuários sobre as estratégias de redução de risco, sendo o uso do preservativo a melhor proteção contra as IST. Porém, aqueles que não querem ou não conseguem usar o preservativo devem ser orientados a procurar o serviço de saúde quando houver sinais ou sintomas de alguma IST.

A PrEP é indicada somente para pessoas com maior chance de se infectar por HIV

As pessoas que mais se beneficiarão do uso da PrEP são aquelas que têm relações anais e vaginais desprotegidas com frequência. O melhor método é aquele que o indivíduo escolhe e que atende suas necessidades sexuais e de proteção. Portanto, escolher a PrEP envolve:

• Avaliar com o usuário os benefícios e riscos do uso da PrEP

• Discutir as condições de utilizar a PrEP diariamente

• Apoiar a decisão do indivíduo

Como ofertar a PrEP?

Haverá indivíduos que chegarão ao serviço com bastante conhecimento e motivação para usar a PrEP.

Para essas pessoas, ofertar a PrEP é praticamente atender a uma demanda de prevenção.

Por outro lado, muitas pessoas apresentarão conhecimento parcial ou nenhum conhecimento a respeito da PrEP, assim como variadas motivações de uso. Especialmente nesses casos, o modo como o profissional de saúde ‘apresenta’ a PrEP pode ser decisivo para a escolha e o uso do método.

Critérios para a indicação de PrEP às pessoas em risco substancial de se infectar pelo HIV

O melhor benefício da PrEP é alcançado quando ela é usada por pessoas com maior exposição ao HIV. Assim, as avaliações devem ser individualizadas e considerar as práticas sexuais que envolvem maior risco de infecção e os contextos de maior vulnerabilidade.