Tuberculose

Semana Nacional de Mobilização e Luta Contra a Tuberculose contou com mais de 1900 acessos.

Cinco webinários abordaram diferentes aspectos da doença.

30.03.2021 - 20:48
30.03.2021 - 21:08

[node:title]Terminou na última sexta-feira, 26/03, a Semana Nacional de Mobilização e Luta Contra a Tuberculose, organizada pela a Coordenação Geral de Vigilância das Doenças de Transmissão Respiratória de Condições Crônicas.

O dia 24 de março foi idealizado para aumentar a conscientização pública sobre a tuberculose, além de suas consequências sociais e econômicas. Uma série especial de webinários foi realizada em alusão ao dia mundial de combate à doença.

 

Os seminários virtuais abordaram diferentes aspectos da resposta à tuberculose, como os desafios no diagnóstico, linha de cuidado, os caminhos para eliminação da doença no país, além da incorporação de novas tecnologias.

 

Os convidados para os webinários representaram diferentes setores: academia e ensino, sociedades médicas, gestores nacionais e locais, especialistas e sociedade civil trouxeram sua visão sobre como aprimorar o enfrentamento à tuberculose.

 

Com audiência de aproximadamente 1900 acessos, os webinários permitiram participação por meio de perguntas enviadas pelo chat e diálogo com os convidados e moderadores. Além do engajamento de diferentes atores, a iniciativa serviu para intensificar os esforços e para dar visibilidade à TB, engajando os diferentes atores rumo à eliminação da doença.

Boletim Epidemiológico da Tuberculose 2021.

Além dos webinários, no dia 24 de março o Secretário de Vigilância em Saúde. Arnaldo de Medeiros e o Diretor do DCCI/SVS, Dr. Gerson Pereira apresentaram a nova campanha sobre a tuberculose e apresentaram o panorama epidemiológico da doença. As principais análises do Boletim Epidemiológico Tuberculose 2021 foram apresentadas pela Coordenadora de Vigilância das Doenças de Transmissão Respiratória de Condições Crônicas, Fernanda Dockhorn.

A publicação contém os principais indicadores epidemiológicos e operacionais da TB no Brasil, estratificados por regiões, unidades da federação e capitais, e inclui um recorte para as situações especiais, como tuberculose drogarresistente (TBDR), TB em populações vulneráveis e em pessoas vivendo com HIV, bem como o impacto da Covid-19 nas notificações da doença no país. Clique aqui para acessar o Boletim.

Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis