PREVENÇÃO COMBINADA

Oficina debate IST, HIV, Aids e hepatites virais em Porto Alegre

O objetivo é construir estratégias de prevenção combinada e de cuidado integral à saúde, em rede, com populações-chave e prioritárias.

14.08.2017 - 19:03
23.08.2017 - 13:17

[node:title]Oficina sobre IST, HIV, Aids e Hepatites Virais para trabalhadores(as) e gestores(as) de Saúde que atuam com pessoas que usam álcool e outras drogas, que usam silicone industrial e hormônios e pessoas em situação de rua, foi realizada em Porto Alegre, entre os dias 09 a 11 de agosto.

A oficina teve como objetivo construir estratégias de prevenção combinada e de cuidado integral à saúde, de forma singularizada e em rede, para essas populações-chave e prioritárias.

Participaram da oficina trabalhadores(as) e gestores(as) de Atenção Básica; Saúde Mental; Ambulatório Trans e IST, HIV/Aids e Hepatites Virais da Secretaria Municipal de Saúde, de Porto Alegre, além das Coordenações Estaduais dessas políticas, e mais representantes da sociedade civil.

O evento foi promovido pelo Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais (DIAHV) do Ministério da Saúde.

No contexto da Prevenção Combinada, a oficina incluiu em sua abordagem os temas relacionados às intervenções biomédicas, comportamentais e estruturais dessa estratégia, como: ofertas de preservativos feminino e masculino; oferta de testagem de HIV, IST e hepatites virais; Profilaxia Pré-Exposição (PrEP); Profilaxia Pós-Exposição (PEP); oferta de tratamento para todas as pessoas, vinculação, retenção e cuidado integral; prevenção e tratamento às outras IST e hepatites virais.

Além disso, o evento tratou de temas considerados importantes pelos participantes, que precisam estar presentes em todo o cuidado, como redução de riscos e danos para o uso de álcool e outras drogas, silicone industrial e hormônios, gênero, identidade de gênero e orientação sexual e outros fatores que aumentam as vulnerabilidades, como racismo institucional, LGBT fobias e desigualdades sociais.

Os participantes trataram também das composições da rede de cuidado para a ampliação da prevenção, diagnóstico e tratamento do HIV/aids, hepatites virais e ISTs.

Em relação ao tema “Redução de Danos”, segundo os consultores técnicos do DIAHV, ressalta-se que, além das pessoas que usam álcool e outras drogas, o Departamento tem trabalhado para produzir conhecimento sobre estratégias para redução de riscos e danos às IST, HIV/aids e hepatites virais entre pessoas trans que usam silicone industrial e hormônios.

Neste caso, a redução de danos para as pessoas que usam drogas ou silicone industrial assemelha-se não apenas em suas técnicas, mas também por dirigir-se a populações criminalizadas e estigmatizadas, garantindo universalidade e equidade, sem constituir-se em incentivo à ilegalidade.

Participaram do evento: consultores(as) técnicos(as) do DIAHV, Paula Adamy, Márcia Colombo, Alícia Krüger, Dênis Petuco, Ana Luiza Nepomuceno, Simone Vivaldini e Márcia Uchoa. Além disso, o evento contou com a participação de Francisco Cordeiro, Analista de Programa da Unidade de Saúde e Desenvolvimento, do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC).

Assessoria de Comunicação
Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais

Conheça também a página do DIAHV no Facebook:
https://www.facebook.com/ISTAidsHV

Oficina debate IST, HIV, Aids e hepatites virais em Porto Alegre