PCDT

Novo Protocolo de IST atualiza condutas e tem pela primeira vez capítulo sobre saúde sexual

Objetivo é facilitar a conduta dos profissionais de saúde para o cuidado integral das pessoas com infecções sexualmente transmissíveis

05.07.2019 - 16:06
04.09.2019 - 15:20

 

Capítulo dedicado à saúde sexual é uma das novidades na atualização do Procotolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Atenção Integral às Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis (PCDT-IST). Com abordagem na pessoa com vida sexual ativa, o texto desse novo capítulo busca facilitar a conduta dos profissionais de saúde em alinhamento às recentes ferramentas com orientações sobre habilidades de comunicação para saúde sexual, prevenção, tratamento e monitoramento das IST.

“Saúde sexual: abordagem centrada na pessoa com vida sexual ativa” destaca a importância para a escuta ativa e promoção de ambiente favorável ao diálogo sobre as práticas sexuais e que estas devam estar presentes na rotina dos serviços de saúde. Assim, é possível estabelecer vínculos e facilitar a adesão às tecnologias disponíveis ofertadas pelos profissionais de saúde. O capítulo destaca a necessidade de abordagem sobre saúde sexual para garantir os diversos aspectos da prevençao, sendo fundamental a ampliação da perspectiva para avaliação e gestão de risco, além das possibilidades que compõem a Prevenção Combinada”, reforça o capítulo.

A nova versão do PCDT-IST tem, ainda, pela primeira vez, capítulo sobre infecções entéricas e intestinais sexualmente transmissíveis, como as proctites, proctocolites e enterites, que necessitam de cuidados especiais em relação à prática sexual e medidas de prevenção para evitar a transmissão.

O material destaca o cuidado das pessoas com sífilis, com algoritmos de decisão clínica para manejo da doença nas classificações adquirida, gestante, criança exposta e congênita, com recomendações para testar, diagnosticar, tratar, notificar e monitorar.

O Protocolo também traz atualizações do capítulo sobre sífilis congênita e sobre a prevenção da transmissão vertical do HIV, da sífilis e das hepatites virais.

Outro ponto importante de atualização deste PCDT é a atual recomendação pela terapia dupla, baseada em ceftriaxona associada à azitromicina, a partir da resistência da bactéria Neisseria gonorrhoeae à penicilina, à tetraciclina e ao ciprofloxacino, constatada no Projeto SenGono.

O Projeto SenGono é parceria do Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis (DCCI) com o Laboratório de Referência localizado na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e com os sítios de coleta. Em 2016, o Projeto SenGono analisou 550 cepas de gonococo em todas as regiões do país; constatou-se elevada resistência da bactéria à penicilina, à tetracilina e à ciprofloxacina.

PCDT - Os Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas – PCDT são documentos que estabelecem os critérios para diagnóstico de infecções/doenças ou agravos à saúde; o tratamento preconizado com medicamentos e demais produtos apropriados; as posologias recomendadas; os mecanismos de controle clínico; e o acompanhamento e a verificação dos resultados terapêuticos a serem seguidos pelos profissionais de saúde e gestores do Sistema Único de Saúde – SUS. Devem ser baseados em evidências científicas e considerar critérios de eficácia, segurança, efetividade e custo-efetividade das tecnologias recomendadas.

Acesse aqui o PCDT-IST

Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis
Conheça também a página do DIAHV no Facebook:
https://www.facebook.com/ISTAidsHV