INFORMAÇÃO

No Dia da Mentira, vamos compartilhar a verdade?

As Fake News estão por todo o lado e precisamos aprender a identificá-las e desmenti-las.

01.04.2019 - 13:48
05.04.2019 - 18:44

[node:title]As fake news estão por todo o lado e precisamos aprender a identifica-las e desmenti-las. Principalmente aquelas que envolvem a saúde. Sim, porque algumas destas notícias falsas podem e acabam impactando negativamente a nossa saúde. Receitas milagrosas contra doenças, informações desencontradas sobre o Sistema Único de Saúde (SUS), a cura de algumas patologias, entre outras notícias fabricadas e criadas para nos enganar.

No Dia da Mentira, lembrado sempre no dia 1.º de abril, reunimos algumas das mais famosas fake news relacionadas ao HIV/Aids para celebrar a data com a verdade, desmentindo estas notícias. Veja!

HIV, Bananas, mutamba e roupas brancas,  o que estas informações têm comum? Todas elas se referem a fake news que circulam na internet relacionadas ao HIV/Aids.

Banana infectada com HIV - Umas das mais conhecidas é a que afirma que bananas infectadas com aids foram encontradas no Brasil. Essa é uma notícias falsa, a banana não seria uma meio externo com condições propícias para transmissão do vírus do HIV, assim como não há chance de contrair o HIV por contato com roupas, objetos (copos, talheres, vazo sanitário) ou outros alimentos.

 

Mutamba cura aids – Outra notícia que circulou muito na internet foi que um produto feito à base de uma planta chamada mutamba curava o HIV/aids. Diante da circulação dessa notícia falsa na redes sociais, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu, em 2016, por meio de uma resolução RE 2.290/16, proibindo a publicidade do produto em todo o território nacional a partir da data de publicação no Diário Oficial da União. O produto “Mutamba contra a Aids” não tem registro na Agência e é, portanto, um produto clandestino, de origem e composição desconhecidas. A medida é preventiva, pois, apesar das denúncias, não foram encontrados indícios da comercialização da “cura da Aids”.  O produto feito à base da planta mutamba não apresenta ensaios clínicos que comprovem suas características medicinais e, dessa forma, não possui registro na ANVISA. Produtos e medicamentos irregulares ou falsificados podem não fazer efeito, prejudicar tratamentos médicos ou, em casos mais graves, comprometer a saúde de quem o consumir. Antes de comprar ou divulgar produtos de origem suspeita ou não registrados, verifique a informação no site da ANVISA.

Pessoas vestidas de branco transmitem aids -  Outra fake news que circula sobre a infecção pelo HIV é essa que alerta que "pessoas vestidas de branco" se passam por estudantes de enfermagem com o objetivo de transmitir o vírus da aids. Em tom alarmista, e até preconceituoso, a notícia, circulou durante os anos de 2014 e 2017, principalmente pelo WhatsApp, em várias cidades do pais. Mais recentemente essa fake news foi reeditada e passou a circular no WhatsApp de moradores de Santa Maria/RS, alegando que pessoas de jaleco branco se passando por funcionários da prefeitura estavam passando nas casas oferecendo exames de glicose e, ao picar os dedos das pessoas, usavam agulhas contaminadas com o vírus HIV. Em todos os casos o boato foi desmentido pelas autoridades municipais. No caso de Santa Maria a polícia identificou o responsável por filmar a equipe de agentes de saúde da família da prefeitura de Santa Maria e divulgar nas redes sociais a notícia falsa que essas imagens eram do suposto grupo que estaria usando agulhas contaminadas com HIV.  O homem foi ouvido pela polícia de Santa Maria e irá responder por calúnia e difamação, em relação aos profissionais da saúde, e falsidade ideológica, por ter colocado informações falsas no Whatsapp.

Como desmentir uma notícia falsa
Para conhecer outras fake News da saúde e ajudar a propagar a verdade entre sua família e amigos, acesse saude.gov.br/fakenews.

Se desconfiar de alguma notícia relacionadas à saúde e quiser tirar a dúvida, mande uma mensagem para o número de WhatsApp (61) 99289-4640. Este é um canal criado pelo Ministério da Saúde para combater as fake news. As informações virais serão apuradas pelas áreas técnicas e respondidas oficialmente se são verdade ou mentira. E viva a verdade!

 

Adaptado do Blog da Saúde