MICOSES ENDÊMICAS

Ministério da Saúde e OPAS realizam webinar sobre micoses invasivas oportunísticas

Atividade contou com a participação de profissionais de diversas regiões do Brasil.

17.11.2021 - 12:01
23.11.2021 - 10:00

[node:title]O Ministério da Saúde e a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) realizaram na quinta-feira (11), o webinário “Desafios no diagnóstico da coinfecção de micoses invasivas oportunísticas (candidíase, aspergilose, fusariose e mucormicose)”. O evento teve o objetivo de disseminar informações atualizadas sobre vigilância, diagnóstico e tratamento das micoses endêmicas.

A técnica Danielle Orti representou a Coordenação-Geral de Vigilância das Doenças de Transmissão Respiratórias de Condições Crônicas (CGDR), vinculada à Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde. A moderação foi realizada pelo médico infectologista Flávio de Queiroz Telles, do Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Paraná.

Durante a primeira palestra, ministrada pelo médico infectologista da Divisão de Moléstias Infecciosas e Parasitárias do Hospital das Clínicas da FMUSP e do Serviço de Controle de InfecçãoSe for  Hospitalar do FMABC/SP, Marcelo Mihailenko Magri, foram abordadas as dificuldades no diagnóstico etiológico das Infecções Fúngicas Invasivas (IFI), sobretudo em contexto da covid-19. O médico detalhou a gravidade e as taxas de mortalidade dessas doenças, principalmente em UTI, fatores de risco, dificuldade de isolamento em cultura, técnicas de diagnóstico, biomarcadores, sintomas, necessidade de tratamento precoces e estratégias de uso de antifúngicos.

A coordenadora do Grupo de Infecção em Pacientes Imunodeprimidos e chefe do Laboratório de Investigação Médica (LIM54), ambos do Hospital das Clínicas da FMUSP, Silvia Figueiredo, fez uma apresentação sobre os desafios no manejo da aspergilose. Silvia destacou as dificuldades enfrentadas durante a pandemia e fez uma abordagem sobre a epidemiologia, os métodos diagnósticos, como testes de sensibilidade (antifungigrama), importância da GM, PCR, exames complementares, como a radiologia, assim como populações sob risco e tratamento preconizado.

Já o médico radiologista do Instituto de Doenças do Tórax (IDT) e do Hospital Clementino Fraga Filho/UFRJ, Domenico Capone, falou sobre os aspectos radiológicos das IFI no contexto da covid-19. O médico abordou sobre a organização dos fungos em micro nichos, a complexidade do diagnóstico, necessitando associação de imagem e avaliação micológica, a gravidade das IFI em pacientes com comorbidades, o padrão tomográfico na pneumonia pela covid-19, alterações radiológicas das IFI, além de apresentar estudos de casos clínicos.

Informações sobre micoses endêmicas podem ser acessadas na página Saúde de A a Z: https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-de-a-a-z/m/micoses-endemicas

Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis

Típo da notícia: Notícias do DCCI