PREVENÇÃO

Implementação da PrEP no Brasil é apresentada a coordenadores estaduais e municipais

Objetivo é definir serviços e logística do sistema para as 12 primeiras cidades participantes do projeto

23.08.2017 - 10:10
23.11.2017 - 10:17

[node:title]O estudo da Implementação da Profilaxia Pré-Exposição (ImPrEP) no Brasil, México e Peru, os incentivos locais e o planejamento do treinamento dos centros para a execução do projeto foram debatidos no primeiro dia da I Reunião sobre a Implementação da PrEP com as Coordenações Estaduais e Municipais de IST e Aids, aberta nesta terça-feira (22), em Brasília. Participaram coordenadores estaduais e municipais do Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

A diretora do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais (DIAHV), Adele Benzaken; a coordenadora do estudo PrEP Brasil na Fiocruz Brenda Hoagland; e a pesquisadora do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI) da FIOCRUZ, Valdiléia Veloso; e analista de políticas sociais do DIAHV, Tatianna Alencar, participaram da abertura.

Para a diretora do DIAHV, as populações-chave não podem ficar de fora dessa estratégia de prevenção. “Temos que dar acesso a esse projeto a quem mais precisa, como por exemplo a população trans e as pessoas profissionais do sexo”, ressaltou Adele Benzaken.

Durante a apresentação do projeto ImPrEP no Brasil, Brenda Hoagland destacou a sua importância ao país. “Esse projeto vai monitorar a implementação da PrEP no Brasil”. A pesquisadora Valdiléia Veloso destacou que a PrEP está inserida dentro do contexto da estratégia da “Prevenção Combinada e que, portanto, não pode ser vista separadamente”.

Inicialmente, a PrEP será implementada em 12 cidades: Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, São Paulo, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, Salvador, Fortaleza, Brasília e Manaus.

Na quarta-feira, 23, a diretora do DIAHV, Adele Benzaken, apresentará os objetivos da reunião e as perspectivas da implementação da PrEP no Brasil. Ao longo do dia serão debatidos a incorporação e plano de implementação da PrEP no SUS; atendimento e acompanhamento clínico em PrEP; logística de medicamentos; funcionalidades do menu PrEP no Siclom; previsão de demanda; definição dos serviços e quantitativos de PrEP nos municípios. Além dos representantes das coordenações estaduais que participaram do primeiro dia da Reunião, também estarão presentes coordenadores dos estados do Ceará, Minas Gerais e Paraná.

A PrEP consiste no uso preventivo de uma combinação de antirretrovirais - Tenofovir + Emtricitabina (TDF/FTC) em um único comprimido antes da exposição ao vírus, em pessoas não infectadas pelo HIV e que mantêm relações de risco com maior frequência. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda, desde 2012, a oferta de PrEP para casais sorodiferentes; gays; homens que fazem sexo com homens; profissionais do sexo; e pessoas transgêneros (travestis e transexuais), consideradas populações-chave.

Assessoria de Comunicação
Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais

Conheça também a página do DIAHV no Facebook:
https://www.facebook.com/ISTAidsHV