TESTE RÁPIDO

DIAHV realiza oficina sobre as estratégias de ampliação do uso e distribuição de teste rápido

Objetivo é qualificar os profissionais de saúde na testagem para HIV, sífilis e hepatites virais

09.05.2018 - 15:21
16.05.2018 - 17:02

 

DIAHV realiza oficina sobre as estratégias de ampliação do uso e distribuição de teste rápido O Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, HIV/Aids e Hepatites Virais (DIAHV), da Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS/MS) realiza de terça-feira (08) até quinta-feira (10) a “2ª Oficina sobre as estratégias de ampliação do uso e distribuição dos testes rápidos de HIV, sífilis e hepatites B e C no Brasil”. O encontro reúne em Brasília 110 representantes das secretarias estaduais e municipais de saúde que são referências técnicas em testes rápidos. O objetivo é qualificar profissionais de saúde responsáveis pela ampliação do diagnóstico e pela capilaridade da rede de testagem rápida.

Durante a abertura, a diretora do DIAHV, Adele Benzaken, apresentou o panorama da resposta brasileira ao HIV/Aids e HV até o presente momento, e destacou que a meta para este ano é alcançar a distribuição de 15 milhões de testes rápidos, tanto para HIV como para sífilis.

Os dados do DIAHV/SVS/MS indicam que a distribuição de testes rápidos de HIV, sífilis, HBV e HCV, alcançou um total de mais de 33 milhões em 2017.

A Diretora observou que nos anos 80, no início da epidemia, responsabilizava-se somente as pessoas por contraírem HIV, e não relacionavam os determinantes e condicionantes sociais – como estigma e discriminação – como causas de vulnerabilidade a esses agravos. Atualmente, segundo a Diretora, a prevenção e o tratamento antirretroviral viral (ARV), dentro de um contexto de “Prevenção Combinada”, incluiu também a atitude comportamental e fatores estruturais, além das ações biomédicas. “A estratégia da prevenção combinada foi lançada no Brasil em 2013. Hoje, nós não distinguimos mais prevenção e tratamento, visto que o tratamento é também uma forma de prevenção, já que a pessoa que segue o tratamento adequadamente fica com carga viral indetectável e, portanto, não transmite o HIV,” explicou Adele.

O coordenador técnico da área de Laboratório do DIAHV, o biólogo José Boullosa Alonso Neto, destacou o encontro como um dos mais importantes da área. “Essa estratégia de trabalhar com as referências técnicas nos estados deu muito resultado, o quantitativo de dúvidas que recebemos ajuda na ampliação e na qualidade da execução dos testes rápidos”.

Boullosa observou que a distribuição de testes rápidos está crescendo a cada ano. “Queremos aumentar este número, sempre executando com a máxima qualidade possível e, principalmente, lembrando que os testes são importantes porque estamos encontrando as pessoas vivendo com HIV antes que a infecção evolua”.

A técnica da área de Laboratório, Mariana Villares, apresentou os principais assuntos que serão abordados durante os três dias de oficina. Entre os temas, destacam-se as questões referentes à notificação de Sífilis, HIV e HV; as estratégias para ampliação do diagnóstico das hepatites virais e sua interface com o “Plano de Eliminação da Hepatite C”; o projeto “Resposta Rápida à Sífilis”; a estratégia “Prevenção Combinada” e a implementação da PreP na rede pública de saúde; e articulação local com a Atenção Básica para implantação da testagem rápida de HIV, HV e Sífilis e aplicação da penicilina para o tratamento da sífilis. Mariana citou também o facebook do Laboratório (LAB) como um importante meio de se obter mais informações: https://www.facebook.com/groups/clab.ddahv/

A Oficina é uma continuidade do trabalho iniciado em 2017, que tem como enfoque principal a qualificação contínua das referências técnicas em testes rápidos.

Habilitação para a realização de testes rápidos - Qualquer profissional de saúde pode realizar o teste rápido, desde que tenha sido capacitado pessoalmente ou à distância, conforme expõe a Portaria n° 29, de 17 de dezembro de 2013, que aprova o Manual Técnico para o Diagnóstico da Infecção pelo HIV em Adultos e Crianças.

O Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e Hepatites Virais (DIAHV) fornece capacitação a distância gratuitamente por meio do Telelab (http://www.telelab.aids.gov.br/), onde estão disponíveis vídeos com procedimentos para a realização dos testes rápidos.

O evento está sendo transmitido ao vivo a partir das 9h00 pelo link http://mediacenter.aids.gov.br/  

Mais informações sobre “Testes Rápidos” confira aqui  http://www.aids.gov.br/pt-br/profissionais-de-saude/testes-rapidos

Mais informações sobre “Prevenção Combinada” confira aqui http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral/previna-se

Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais
Conheça também a página do DIAHV no Facebook:
https://www.facebook.com/ISTAidsHV

DIAHV realiza oficina sobre as estratégias de ampliação do uso e distribuição de teste rápido