HIV

DIAHV atualiza informações sobre o conceito Indetectável = Intransmissível

O termo é válido para Pessoas Vivendo com HIV que estejam com carga viral indetectável no mínimo há seis meses de tratamento

17.05.2019 - 17:46
26.06.2019 - 17:27

A Nota Informativa Nº 5, de 14 de maio de 2019 divulgada pelo  Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais da Secretaria de Vigilância em Saúde (DIAHV/SVS) do Ministério da Saúde, atualiza informações sobre o conceito do termo indetectável = intransmissível para Pessoas Vivendo com HIV (PVHIV). O termo é válido desde que as PVHIV estejam com carga viral do HIV indetectável há pelo menos seis meses.

A justificativa para o uso do conceito está apoiada nas evidências científicas de que as PVHIV em Tratamento Antirretroviral (TARV) e carga viral indetectável não transmite o vírus por via sexual. O termo Indetectável = Intransmissível (I = I) já é utilizado por cientistas e instituições de referência sobre o HIV em abrangência mundial.

O Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para o Manejo da Infecção pelo HIV em Adultos (PCDT) do Ministério da Saúde traz recomendações atualizadas para a composição dos esquemas de TARV a fim de assegurar a eficácia do tratamento, bem como o fluxo para o seguimento do cuidado das PVHIV.

Recomenda-se que seja realizado exame de carga viral a cada seis meses, além do uso regular de preservativos nas relações sexuais, porque elas têm a função de proteger as pessoas vivendo com o vírus de outras infecções sexualmente transmissíveis.

Para amamentação, entretanto, ainda não há evidência científica que justifique a adoção do conceito I = I, porque o vírus pode ser transmitido para o bebê durante amamentação, mesmo quando a mãe esteja com a carga viral indetectável. Assim, o tratamento continua via cabergolina, distribuída em todo o Sistema Único de Saúde (SUS), para inibição da lactação e de fórmula láctea para alimentação do recém-nascido exposto ao HIV durante a gestação e parto.

Atualmente, além do tratamento das pessoas que vivem com o vírus e o uso do preservativo, existem outras formas de prevenção que utilizadas de formas isoladas ou combinadas podem evitar a transmissão do HIV, como a Profilaxia Pós-Exposição (PEP), a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP).

CAMPANHA INDETECTÁVEIS - O Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais (DIAHV) do Ministério da Saúde lançou, em dezembro de 2018 a campanha Indetectável, série de depoimentos de 13 pessoas de diferentes faixas etárias, onde elas relatam como é viver com o vírus e a conquista que foi para si o fato de terem a carga viral em níveis indetectáveis.  Os depoimentos, fotos e cartazes relacionados a campanha podem ser vistos aqui.

A Nota Informativa Nº 5/2019 - DIAHV/SVS/MS está disponível em http://bit.ly/2Vy9OlJ

Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais
Conheça também a página do DIAHV no Facebook:
https://www.facebook.com/ISTAidsHV