LUTO

DCCI lamenta a morte de Aparecida Lemos

A ativista era professora aposentada, vivia com HIV e foi protagonista da Campanha Indetectável

03.07.2020 - 12:24
21.07.2020 - 19:10

O Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis (DCCI) lamenta a morte da professora aposentada e ativista na luta contra o HIV/aids Aparecida Lemos, mais conhecida como “Cida”. Formada em magistério, tornou-se diretora de uma escola pública, onde trabalhou até se aposentar. Descobriu que vivia com HIV no ano 2000, aos quase 60 anos, e lutou nos últimos anos contra o câncer.

Cida participou da caminhada do Dia Mundial de Luta contra a Aids, em Nova Iorque, e colaborou no documentário “Positivas”, de Suzanna Lira. Também foi protagonista da campanha produzida pelo DCCI, “Sou + Estou Indetectável”, em 2018.

Para trilhar seu próprio caminho, Cida precisou passar por terrenos desconhecidos, de uma mulher que adquiriu a cegueira após os 40 anos. Depois disso, começou a realizar palestras com foco em superação, e também coordenou o grupo Cidadãs Posithivas/RJ.

O DCCI se solidariza com a família, amigos e ativistas pela perda de Cida Lemos, uma mulher inesquecível, que deixou seu exemplo de luta para as pessoas vivendo com HIV.