LUTO

DCCI lamenta a morte da ativista travesti Fernanda Benvenutty

A ativista ilustrou a campanha do nome social do Ministério da Saúde, em 2013

03.02.2020 - 15:30
28.02.2020 - 11:36

O Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis (DCCI) lamenta o falecimento de Fernanda Benvenutty, ocorrida no domingo (2), em João Pessoa, e que completaria 58 anos no próximo dia 9 de fevereiro.

Mãe de três filhos, Fernanda Benvenutty era técnica de enfermagem e ativista  pelos direitos humanos LGBT. Fundadora da Associação das Travestis da Paraíba (Astrapa), também presidiu a entidade e foi vice-presidente da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra). Em 2013, como primeira travesti Conselheira Nacional de Saúde, ilustrou a campanha do Ministério da Saúde do Dia da Visibilidade Trans com o tema do uso do nome social no Cartão Nacional de Saúde.

O DCCI se solidariza com familiares e comunidade trans pela perda de uma ativista que atuou em defesa dos direitos da população LGBT e, principalmente,das travestis e pessoas trans no Brasil