HEPSUMMIT2017

Cúpula Mundial de Hepatites se encerra como grande passo adiante no enfrentamento às hepatites virais

Declaração de São Paulo reafirma compromisso contra o agravo que mata mais de 1 milhão de pessoas por ano

03.11.2017 - 17:39
14.11.2017 - 01:57

 

Cúpula Mundial de Hepatites se encerra como grande passo adiante no enfrentamento às hepatites viraisAo todo, 900 pessoas de 110 países lotaram esta semana o Golden Hall do complexo World Trade Center, em São Paulo, com um propósito em comum: eliminar as hepatites virais como problema de saúde pública até 2030. Este ano, a Cúpula Mundial de Hepatites 2017 (HepSummit2017) reuniu 120 palestrantes e atraiu mais que o dobro dos participantes da primeira edição, realizada em Glasgow, em 2015 – o que representa um enorme avanço na luta contra um agravo que mata mais de 1 milhão de pessoas por ano em todo o mundo.

A cerimônia de encerramento confirmou o que todos os presentes já sabiam: a Cúpula Mundial de Hepatites 2017 foi um enorme sucesso.

Fruto de uma parceria entre o governo brasileiro, a Aliança Mundial contra as Hepatites (World Hepatitis Aliance/WHA) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Cúpula Mundial de Hepatites é um evento bienal dedicado a avançar a resposta global às hepatites virais. A cada edição, o evento é realizado em um diferente país-sede. O Brasil foi escolhido por seu reconhecido protagonismo no enfrentamento às hepatites virais.

A diretora do Departamento de Prevenção, Vigilância e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais (DIAHV) do Ministério da Saúde, Adele Benzaken, apresentou a Declaração de São Paulo – fruto da Cúpula – aos presentes. “Esta é uma mensagem ao mundo sobre o compromisso dos governos com a eliminação das hepatites virais até 2030”, disse Adele, emocionada diante dos efusivos agradecimentos dos representantes da OMS, Gottfried Hirnschall, e da WHA, Charles Gore. “Foi uma honra para o Brasil sediar este evento: vivemos um momento histórico em que podemos vislumbrar grandes mudanças à frente”, disse, acrescentando esperar que a Cúpula seja “uma excelente oportunidade para definirmos qual o melhor caminho para trilharmos juntos daqui para a frente”. “A Cúpula acaba aqui, mas a luta contra as hepatites virais continua”, completou.

Veja aqui a Declaração de São Paulo sobre as Hepatites:
Português: http://www.aids.gov.br/sites/default/files/noticia/2017/65017/traducao_d...
Inglês: http://www.aids.gov.br/sites/default/files/noticia/2017/65017/final_sao_...

O diretor de HIV/Aids da OMS, Gottfried Hirnschall, concordou: “Podemos mover montanhas se o esforço for em conjunto”, disse, afirmando que o evento foi “fantástico” e agradecendo ao Brasil por seu protagonismo e a Adele, pessoalmente, pela liderança.

O presidente da WHA, Charles Gore – que deixará o cargo no final do ano – também fez um discurso emocionado no encerramento do evento. “Eu tinha um sonho – o sonho de realizar um fórum onde a sociedade civil envolvida com a questão das hepatites virais poderia se reunir com ministros da Saúde e outros protagonistas”, disse. “Obrigado por fazerem o meu sonho virar realidade.” Gore disse esperar que todos saíssem do evento acreditando ainda mais na causa do que quando chegaram: “No futuro, a luta que estamos empreendendo contra as hepatites virais será um exemplo de resposta global, assim como ocorreu com o HIV, no passado”.

A cerimônia também contou com o contundente depoimento do ativista Jeová Fragoso, presidente da organização não governamental Grupo Esperança. Fragoso narrou sua longa jornada – de 18 anos de tratamento e um transplante – rumo à recente cura da hepatite C. O ativista também fez um agradecimento especial a Adele, pela excelência de seu trabalho na luta contra as hepatites virais.

COMUNIDADE GLOBAL – Mais de 900 delegados se reuniram em São Paulo, entre os dias 1 e 3 de novembro, para a Cúpula Mundial de Hepatites 2017. O evento foi realizado em torno de um objetivo comum: a eliminação das hepatites virais como problema de saúde pública até 2030. A Cúpula, uma iniciativa conjunta entre a Aliança Mundial Contra as Hepatites Virais, a OMS e o governo brasileiro, reuniu pessoas vivendo com hepatites virais, formuladores de políticas, especialistas e representantes da sociedade civil de 110 países.

Saiba mais em:
www.worldhepatitissummit.org

Assessoria de Comunicação
Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais

Conheça também a página do DIAHV no Facebook:
https://www.facebook.com/ISTAidsHV