SEGURANÇA COMPLETA

Covid-19: Ministério da Saúde recomenda dose de reforço para imunocomprometidos

Imunizante deve ser aplicado quatro meses depois da última dose do esquema vacinal primário
21.12.2021 - 13:01
05.01.2022 - 12:08

Covid-19: Ministério da Saúde recomenda dose de reforço para imunocomprometidosO Ministério da Saúde recomenda a aplicação de uma dose de reforço da vacina Covid-19 para todos os indivíduos imunocomprometidos com mais de 18 anos que já completaram o esquema primário de vacinação, ou seja, tomaram as duas doses da vacina e a dose adicional. O intervalo para a aplicação desta nova dose é de quatro meses contados a partir da conclusão ciclo vacinal inicial.

A orientação consta em nota técnica divulgada pela Pasta nesta segunda-feira (20). Leia a íntegra aqui https://www.gov.br/saude/pt-br/coronavirus/vacinas/plano-nacional-de-ope.... O documento também oficializa a recomendação de redução do prazo mínimo para a aplicação das doses de reforço vacinal contra a Covid-19. O anúncio já havia sido feito no último sábado (18) pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

O novo prazo é de quatro meses a partir da aplicação da segunda dose, independente do imunizante aplicado. A vacina a ser utilizada para a dose de reforço deverá ser, preferencialmente, da plataforma de RNA mensageiro (Comirnaty/Pfizer) ou, de maneira alternativa, vacina de vetor viral (Janssen ou Astrazeneca).

A estimativa do Ministério da Saúde é que 1 milhão de pessoas imunossuprimidas sejam beneficiadas com essa nova etapa de imunização. A previsão está na 52º Pauta de Distribuição e corresponde a cerca de 1 milhão de pessoas. 

De acordo com o Plano Nacional de Operacionalização (PNO) do Ministério da Saúde, pessoas vivendo com HIV/aids são consideradas pacientes imunocomprometidos.

Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis

 
Típo da notícia: Notícias do DCCI