INTERNACIONAL

Ações no Brasil na luta contra o HIV/Aids são tema de reunião com CDC

PrEP, diagnóstico e tratamento do HIV são apresentadas em encontro com representantes internacionais da entidade

12.11.2018 - 10:31
19.11.2018 - 16:54

 

[node:title]Representantes dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) de Atlanta (Estados Unidos) e da Regional da América Latina, e do Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIVB/Aids e das Hepatites Virais (DIAHV) participaram na quarta-feira (7), em Brasília, da Reunião do CDC/Brasil. Dentre os temas debatidos, a implementação da Profilaxia Pré-Exposição de Risco à Infecção pelo HIV (PrEP) no Brasil; diagnóstico e o tratamento de HIV no país.

O objetivo da reunião, segundo o CDC/Brasil, é que os representantes das entidades internacionais conhecessem os avanços da resposta brasileira ao HIV. A visita também visou verificar o potencial de futura cooperação técnico-científica entre o Programa Regional do CDC e o Ministério da Saúde.

Participaram da reunião representantes do DIAHV; o diretor para as Américas da Divisão de HIV/Aids e Tuberculose do CDC/Atlanta (Estados Unidos), Paul Young; a coordenadora interina do PEPFAR para a América Central Hedi Mihm; a representante da divisão de HIVAids e Tuberculose do CDC/Atlanta Kristin Kelling; a diretora do Programa Regional do CDC/PEPFAR na América Central, Sanny Northbrook; o diretor do CDC no Brasil, Aristides Barbosa; a vice-diretora para Ciência e Epidemiologia do CDC/Brasil, Ana Carolina Santelli.

Para Paul Young, que há dois anos integra o CDC e acompanha a resposta brasileira ao HIV, houve evolução no tocante à prevenção e tratamento no país. “Percebo que o programa de aids no Brasil é de vanguarda e apresenta avanços a cada ano. O país apresenta práticas que devem servir de inspiração para outros países”, afirmou.

A incorporação do dolutegravir à terapia antirretroviral para pessoas vivendo com HIV, segundo Paul Young, é destaque no tratamento realizado no Brasil e que deve ser seguido como exemplo para outros países. “Além do uso deste medicamento, as ações mostradas durante a reunião são fonte de aprendizado para que outros países também possam implantá-las com êxito”, disse.

Por fim, Paul Young destacou o avanço do Brasil para atingir os objetivos da Meta 90-90-90, estabelecida pela Organização Mundial de Saúde (90% das pessoas vivendo com HIV diagnosticadas; destas, 90% realizando o tratamento com antirretrovirais; e, 90% deste grupo, com carga viral indetectável). “Entendemos que ainda há muito por fazer. Porém, percebemos que as ações, a incorporação rápida de novas tecnologias pelo Brasil, tanto no uso de medicamentos como nas formas de prevenção, demonstram o quanto há de evolução na luta contra o HIV/aids”, finalizou.

Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais
Conheça também a página do DIAHV no Facebook:
https://www.facebook.com/ISTAidsHV