IST

10 de novembro, Dia Mundial de Combate ao Vírus HTLV

Data foi escolhida pela Associação Internacional de Retrovirologia para mobilizar a sociedade

14.11.2019 - 09:36
02.12.2019 - 10:37

Comemorado em 10 de novembro, o Dia Mundial de Combate ao Vírus HTLV é um alerta para uma infecção pouco conhecida, com sinais e sintomas imperceptíveis na maioria dos casos. A Infecção causada pelo vírus T-linfotrópico humano (HTLV) atinge as células de defesa do organismo, os linfócitos T.

A data foi escolhida pela Associação Internacional de Retrovirologia (IRVA – International Retrovirology Association) com o objetivo de informar e mobilizar a sociedade e o poder público para o significado da infecção, as doenças a ele associadas, seu impacto na saúde pública e os meios de contê-lo.

O HTLV foi o primeiro retrovírus humano isolado (no início da década de 1980) e é classificado em dois grupos: HTLV-I e HTLV-II. Dez por cento das pessoas infectadas apresentam doenças neurológicas, oftalmológicas, dermatológicas, urológicas e hematológica s(neste caso, a leucemia e linfoma) associadas ao vírus.

O contágio do HTLV ocorre por via sexual em relações desprotegidas, por compartilhamento de seringas e agulhas e via transmissão vertical (da gestante para o bebê) principalmente pelo aleitamento materno.

O tratamento é direcionado de acordo com a doença relacionada ao HTLV. A pessoa deverá ser acompanhada nos serviços de saúde do SUS e, quando necessário, receber seguimento em serviços especializados para diagnóstico e tratamento precoce de doenças associadas ao HTLV.

É recomendado o uso de preservativo masculino ou feminino (disponíveis gratuitamente na rede pública de saúde) em todas as relações sexuais, e o não compartilhamento de seringas e agulhas.