Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais

Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais

Portal sobre aids, infecções sexualmente transmissíveis e hepatites virais


A- A+

Início da terapia antirretroviral

O início do tratamento com medicamentos antirretrovirais é um dos momentos mais difíceis para o soropositivo, pois uma nova rotina deve ser incorporada em sua vida. E os remédios podem lembrá-lo a cada momento da doença. Por isso, os profissionais de saúde devem ajudar o paciente a enfrentar o início da terapia.

É preciso tomar os remédios corretamente, mesmo com possíveis problemas de horário e efeitos colaterais. E a adesão é um dos maiores desafios para a os pacientes. Por isso, na conversa com o médico, o soropositivo deve listar as dificuldades que possam surgir. Seguir todas as recomendações médicas relacionadas aos remédios, alimentação, prática de exercícios físicos é fundamental para aumentar a qualidade de vida do paciente. O uso de qualquer outro medicamento, álcool e drogas deve ser avisado ao médico para a troca de informações sobre interação e possíveis reações do organismo.

Geralmente, as consultas são feitas em intervalos de duas a três semanas. Até 30 dias após o início do tratamento, recomenda-se a realização de exames de sangue para avaliar o estado de saúde do paciente e a reação do organismo aos remédios indicados. Com o tempo, os controles podem ser feitos a cada três ou quatro meses.

Troca da combinação
Após o início do tratamento com medicamentos antirretrovirais, alguns soropositivos podem precisar trocar as combinações. Para montar os “esquemas de resgate”, os médicos precisam estar atentos à evolução da carga viral, contagem de linfócitos T CD4+ e aparecimento de algumas doenças. Mas, alguns fatores interferem no tratamento: intolerância, má-adesão, uso prévio de combinações inadequadas e resistência primária do HIV. Nesses casos, o médico deverá solicitar o [tip:teste de genotipagem=É um exame de sangue que analisa a sequência de DNA do HIV (genoma). Verifica possível resistência do vírus a algum medicamento.], para identificar a quais medicamentos a pessoa ficou resistente, para que possa ser planejada a troca do esquema.

 

 

Veja também
O que é adesão?
Dicas positivas
Manual de adesão
Rede Nacional de laboratórios de Genotipagem

Share:

Twitter Facebook