Departamento de IST, Aids e Hepatites Virais

Departamento de IST, Aids e Hepatites Virais

Portal sobre aids, infecções sexualmente transmissíveis e hepatites virais


A- A+

Travestis ganham campanha contra aids e preconceito

Conteúdo extra: Galeria de fotos

O Programa Nacional de Doenças Sexualmente Transmissíveis e Aids (DST/Aids) do Ministério da Saúde lança nesta quinta-feira (29/01) no Congresso Nacional, a primeira campanha de prevenção voltada para travestis. A campanha é centrada no reforço a atitudes de respeito e de inclusão social deste segmento da população, que se torna muito vulnerável ao vírus da aids pelo preconceito e violência.

Travestis são consideradas um grupo bastante importante no perfil da epidemia do HIV/Aids no Brasil devido a sua histórica vulnerabilidade social (exclusão, violência, preconceito e discriminação) que determina também uma grande vulnerabilidade para a infecção (práticas sexuais não protegidas e compartilhamento de seringas na aplicação de silicone e de hormônios para ganhar uma aparência mais feminina, por exemplo).



A campanha foi elaborada por lideranças do movimento organizado de travestis e transgêneros, em parceria com o Programa Nacional de DST/Aids, e tem quatro alvos a atingir: escolas, serviços de saúde, comunidade e clientes das travestis profissionais do sexo. O tema da campanha é: “Travesti e respeito: já está na hora dos dois serem vistos juntos. Em casa. Na boate. Na escola. No trabalho. Na vida”. O slogan é reproduzido em cartazes e folders com fotos das 27 travestis que participaram da elaboração da campanha.



Um dos folders é direcionado aos profissionais de saúde, orientando-os a acolher as travestis pelo nome feminino e alertando para a necessidade de se investigar melhor problemas relacionados às doenças sexualmente transmissíveis e aids, bem como ao uso de silicone e hormônios.

O segundo folder é voltado para o educador, lembrando que a exclusão social das travestis deve-se, fundamentalmente, ao abandono da escola, primeiro lugar onde elas encontram dificuldade de adaptação. As piadinhas maldosas dos colegas, a proibição de usarem os banheiros femininos e o desrespeito ao nome de mulher que adotam, entre outras atitudes preconceituosas, terminam por fazê-las desistir de estudar.

O mercado de trabalho também as discrimina, empurrando a maioria delas para o serviço de sexo, onde são tão ou mais vulneráveis à infecção do HIV que os homossexuais.





O spot para rádio foi gravado gratuitamente pelo ator global Marcelo Novaes, e é dirigido à população em geral. Para os clientes das travestis haverá anúncios em jornais, nas páginas dos classificados de encontros, falando de respeito e do uso do preservativo. E a as próprias travestis foi editada uma revista chamada “Ser Travesti”, com informações sobre prevenção, uso de silicone e direitos humanos, que será distribuída nas ruas e em boates.

Download do spot em mp3: arquivo pequeno | alta qualidade

Lançamento da Campanha

Dia: 29/01/04 – quinta-feira

Onde: Plenário 7 da Câmara dos Deputados – Anexo II

Horário: 10h

Mais informações: Assessoria de Imprensa do Programa Nacional de DST/Aids – 61.448.8100 – 448.8016 - Márcia Lage ou Christiane Dias

Tags:

Share:

Twitter Facebook